Lauro Barcellos é o Novo Diretor do Museu da Cidade

O Museu da Cidade do Rio Grande está sob nova direção, liderada pelo também diretor do Complexo de Museus da FURG, o museólogo Lauro Barcellos.

A mudança na direção foi definida pela Fundação Cidade, que administra o Museu desde a sua criação. O Museu da Cidade possui duas coleções: Histórica, localizada no prédio da Receita Federal do Brasil (antiga Alfândega), e Coleção de Arte Sacra, cujo acervo se encontra na Capela São Francisco, rua Marechal Floriano, fundos da Catedral de São Pedro.

Conforme o novo diretor, as coleções continuarão sendo mantidas pela Fundação Cidade e contando a história de toda a população rio-grandina, ao longo dos quase três séculos de existência da povoação, depois cidade mais antiga do Rio Grande do Sul. “Os acervos são mantidos, cuidados e pesquisados por uma equipe extremamente qualificada e dedicada, que nos dá segurança de trabalharmos da melhor forma por este museu que vai seguir mostrando a riqueza da formação da população rio-grandina e gaúcha”.

Barcellos destaca o trabalho da antiga diretora, Marisa Beal, que coordenou o Museu da Cidade durante a reestruturação nos últimos anos. “Encontro um museu extremamente organizado, com documentação museológica em dia. Parabenizo-a pelo trabalho e espero fazer o melhor para que todos possam se orgulhar do Museu da Cidade do Rio Grande”.

O presidente do Conselho da Fundação, Henrique José Vieira da Fonseca, a presidente da Fundação, eng. Elizabeth Tellechea e o novo diretor Lauro Barcellos, vêm se reunindo com a equipe que atua no Museu, a fim de organizar os contatos necessários entre a Fundação Cidade e as instituições parceiras, como os Sistemas Estadual e Nacional de Museus, a Universidade Federal do Rio Grande, museus estrangeiros e organismos dos governos municipal, estadual e federal. Destacam a Receita Federal, que durante todos esses anos em que o prédio abriga o Museu da Cidade, vem contribuindo muito para o desenvolvimento do espaço cultural.

A população rio-grandina e os visitantes, conforme Barcellos, podem esperar novidades, a longo prazo, nas exposições e também novas ações pontuais do Museu da Cidade, que farão parte do planejamento estratégico da instituição. “Convidamos toda a comunidade a visitar este museu”, diz o novo diretor, “porque ele é uma propriedade de todo o povo do Rio Grande, e queremos que esse sentimento de pertença esteja no coração de todo cidadão e cidadã deste município, já que o museu abriga parte destes quase 300 anos de história”.

O MUSEU

A exposição permanente do Museu da Cidade do Rio Grande, coleção Histórica, apresenta testemunhos do passado e da cultura locais, desde o período pré-histórico, passando pelo colonial até o passado recente, com focos na industrialização e maritimidade. O visitante encontra também uma linha do tempo bastante completa, ligando Portugal-Brasil-Rio Grande entre 1534 e 2015.

Um dos grandes destaques pós-reestruturação é a acessibilidade, incluindo sound-tubes, que são capacetes sonoros para uso de pessoas com deficiência visual. O museu foi montado atendendo as mais modernas técnicas de museografia e museologia, a partir do apoio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES.

A coleção de Arte Sacra Visões do Sagrado e Religiosidade em Rio Grande mostra peças ligadas à religião Católica Apostólica Romana em Rio Grande, com peças barrocas dos séculos XVIII e XIX, objetos e imagens utilizados em missas campais e procissões, assim como os tradicionais oratórios existentes nas antigas residências, para que as famílias celebrassem atos religiosos em casa.

SERVIÇO

Museu Cidade do Rio Grande:

Coleção Histórica – rua Riachuelo s/ nº, prédio da antiga Alfândega.

Coleção de Arte Sacra – rua Marechal Floriano, fundos da Catedral de São Pedro.

Horário de verão (janeiro e fevereiro) – de terça-feira a sábado, das 10h às 15h30

Demais meses – de terça-feira a sexta-feira, das 9h às 17h; sábados, das 10h às 15h30

Visitas de escolas são gratuitas. Pessoas até 12 anos ou maiores de 60 não pagam ingresso.

Valor do ingresso – R$ 5,00 –  único para visitação nas duas coleções.

Rosane Borges Leite – MTb 5449

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.