Vacinação prossegue nesta semana em Rio Grande e pandemia continua grave

O prefeito Fábio Branco informou, na segunda-feira (5) à noite, que após a reunião do Comitê Técnico Municipal em Saúde, o município se mantém em bandeira preta de distanciamento social controlado e segue os protocolos do modelo determinado pelo Governo do Estado. Durante transmissão pela página da Prefeitura no Facebook, ele e a secretária titular da pasta da Saúde em Rio Grande, Zelionara Branco debateram com internautas sobre o processo de vacinação na cidade e a gravidade da pandemia.

A secretária falou que, diferente do ano passado, hoje, a situação da pandemia está com comportamento diferente e pra pior. “Há um percentual de pacientes que evoluem para a forma grave da doença muito rapidamente. Nos últimos boletins da Covid-19, notamos que existem muitos jovens, estudantes, aposentados com sintomas, que, teoricamente, não deveriam estar circulando”. Por isso, ela insiste na recomendação de que quem não tiver necessidade de sair de casa ou cumprir tarefas fora de domicílio, que evitem sair. A secretária relatou que sempre há o risco mais grave de faltar medicamentos nas unidades hospitalares para atender pacientes da Covid-19 e que ainda permanece a lotação dos leitos de UTI.

Sobre a vacinação, ela disse que, no feriado de Semana Santa, a Prefeitura recebeu um novo lote de vacinas para continuar o processo de imunização do público com 65 anos ou mais. O número de pessoas nessa faixa etária é bastante expressivo em Rio Grande, conforme a secretária.

Profissionais da Segurança

Nesta segunda-feira, foi vacinada a maior parte dos profissionais da Segurança. Já nesta terça-feira (6), continua a vacinação para idosos acima de 65 anos ou mais e acamados domiciliados. Nessa semana, a Secretária de Município da Saúde deve divulgar o calendário de aplicação da segunda dose da vacina para a população que já recebeu a primeira, tanto dos imunizantes Coronavac como da Astrazeneca.

O prefeito lembrou que as vacinas que chegam ao município obedecem tanto critérios de aplicação definidos pelo governo estadual e pelo Ministério da Saúde, incluindo o cronograma de vacinação para grupos específicos. Desta vez, o critério atendeu, também, profissionais que atuam na área da Segurança Pública na cidade, como policiais militares, civis, bombeiros e servidores da Penitenciária Estadual do Rio Grande. Foram entregues à Secretaria 635 vacinas, suficientes para apenas uma parte destes profissionais. “Não é o número necessário para todo esse grupo. Alguns ainda não vão ser contemplados nessa etapa”, antecipou a secretária que tem na expectativa do envio de mais um lote para a Segurança nos próximos dias.

Próximos da fila

No site da Prefeitura, está disponível um link, no ícone “Corona”, para cadastro de pessoas que precisam receber a dose da vacina em domicílio, isto é, os acamados ou domiciliados que não foram imunizados. “Precisamos de cerca de 1.000 (mil) doses para atender essas pessoas”, lembra a secretária. Além deles, falta ser vacinado o grupo de pessoas com 60 a 64 anos, cujo lote de vacinas para atendê-los é aguardado pela Secretaria, também, para os próximos dias.

Vencida a etapa de vacinação de quem tem acima de 60 anos, é a vez do próximo público da fila: as pessoas que têm menos de 60 anos e possuem doença crônica ou alguma deficiência. Essa é a orientação do Ministério da Saúde, explica Zelionara. Em Rio Grande, a Secretaria da Saúde calcula em 30 mil o número de pessoas desse grupo. Trabalhadores da Educação podem vir a ter prioridade na fila, como ocorreu com os profissionais da Segurança, mas não há definição do Ministério.

Assessoria de Comunicação Social – Prefeitura Municipal do Rio Grande

Foto: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

14 + três =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.