Reitora da FURG integra comitiva para inauguração da Estação Antártica Comandante Ferraz

Universidade lidera pesquisas no Oceano Antártico e oferece apoio logístico às ações da EACF

A convite da Marinha do Brasil e do Ministério de Estado da Defesa, a reitora da FURG, Cleuza Maria Sobral Dias, participará nesta terça-feira, 14, da inauguração das novas instalações da Estação Antártica Comandante Ferraz (EACF).

Por sua vocação marítima e atuação na área da Oceanografia, em 1982 a FURG foi convidada a participar do Projeto Antártico Brasileiro (Proantar) e assim, a partir do convênio entre a universidade e a Comissão Interministerial para os Recursos do Mar (Cirm), foram construídas e habilitadas as instalações da Estação de Apoio Antártico (Esantar/RG), administrada pela Coordenação de Apoio às Operações na Antártica da FURG.

Para a reitora, a participação da FURG na inauguração reflete o reconhecimento da universidade como pioneira na formação e pesquisa na área de Ciências do mar, com a criação do curso de Oceanologia, no ano de 1970. “Como reitora da FURG, sinto-me muito honrada em participar deste importante evento, que marca uma nova etapa nas ações do Brasil no Continente Antártico”, afirma.

A nova estação

Após um grave incêndio ocorrido em 2012, a principal edificação da EACF foi destruída. Composta inicialmente por seis módulos que abrigavam somente 12 pessoas, as novas instalações da Estação Antártica Comandante Ferraz poderão abrigar até 64. A estação é dividida em 17 unidades, sendo 14 projetadas para os laboratórios que abrangem as pesquisas científicas realizadas pelo Proantar.

A viagem será realizada pela Força Aérea Brasileira, partindo de Brasília com destino a Punta Arenas, no Chile, e após para a Antártica, com um trecho do percurso feito a bordo do navio da MarinhaAlmirante Maximiano da Fonseca. Participam da inauguração o vice-presidente da República, Antônio Hamilton Mourão, os ministros da Defesa, General de Exército Fernando Azevedo e Silva, da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Marcos Cesar Pontes, o comandante do Exército General de Exército Edson Leal Pujol, além de outras autoridades.

A FURG na Antártica

O Brasil teve sua presença na Antártica reconhecida internacionalmente em 1983, o que resultou na aceitação do país como parte consultiva do Tratado da Antártica, que consagra o continente como uma reserva natural internacional dedicada à Ciência e à Paz.

O Programa Antártico Brasileiro (Proantar), existente há 39 anos, serve como um instrumento de projeção do Brasil no cenário mundial e de demonstração, junto à comunidade internacional, do interesse do país no continente. Participante desde a fundação do programa, a FURG atua em projetos de pesquisa, desenvolvidos principalmente no âmbito do Instituto de Oceanografia da universidade. Entre as instituições brasileiras, é líder no desenvolvimento de pesquisas no Oceano Austral.

O envolvimento da universidade também compreende o apoio logístico às operações da EACF, com a Estação de Apoio Antártico (Esantar/RG). Além de demandas do Proantar, a Esantar é responsável pela guarda, controle, manutenção e distribuição dos materiais enviados para a Antártica, a exemplo das vestimentas que são utilizadas por quem permanece no continente. Os trajes são designados de acordo com a atividade, local de execução e tempo de permanência e são divididas em 13 modelos distintos,para pesquisadores, militares e visitantes, sendo todas enviadas pela FURG.

Considerando as baixas temperaturas do Continente Antártico, a movimentação de pesquisadores, equipamentos e material é realizada durante o Verão Antártico. Denominadas de Operações Antárticas (Operantar), as atividades iniciam em outubro e são finalizadas em setembro do ano seguinte, envolvendo treinamentos, translados marítimos com os navios Ary Rongel e Almirante Maximiano da Fonseca, e a logística de 10 voos de apoio. Cada operação envolve aproximadamente um fluxo de mil pessoas, entre pesquisadores (distribuídos em projetos de pesquisa, nas mais diversas áreas de estudo, como Oceanografia, Biologia, Meteorologia, Geologia, etc), técnicos, militares e visitantes.

De acordo com dados da Esantar/RG, a operação que aconteceu durante o ano de 2018, levou 943 pessoas à Estação, entre tripulantes e passageiros, divididos nos dois navios – Ary Rongel e Almirante Maximiano da Fonseca – e no avião de apoio. A 38ª Operantar segue em andamento e até agora já mobilizou 540 viajantes.

Assessoria de Comunicação Social da FURG

Foto: Júlia Sassi/FURG

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.