Festa na SAC com 2.160 pessoas é autuada e evento continua

Na noite de sábado (29) e madrugada de domingo (30) uma festa anunciada como o maior festival de funk do Brasil, no Balneário Cassino, na Sociedade Amigos do Cassino (SAC) recebeu autuação com multa por descumprimento de decreto. Apesar da punição, a festa com 2.160 pessoas foi interrompida temporariamente durante o trabalho da fiscalização e posteriormente foi autorizada a continuar.

Foto: Divulgação/Redes Sociais (Foto do evento)

A ação foi realizada pela Brigada Militar, Vigilância Sanitária, e Secretário de Munícipio do Cassino, Sandro Oliveira.  Conforme as equipes de fiscalização, foi constatado que o comprovante vacinal não era exigido para ingressar no local e havia diversas pessoas que não utilizavam máscaras, incluindo funcionários.

Segundo a fiscalização, a continuidade da festa foi autorizada após o uso de máscaras ser cumprido, ser solicitado o comprovante vacinal de quem estava entrando na festa e ser assinado auto de infração com multa de R$ 1.200,00 (mil e duzentos reais) pelos responsáveis. Três pessoas se apresentaram como responsáveis do evento. Os agentes fiscalizadores observaram que a organização da festa possuía mil máscaras descartáveis disponíveis e segundo informado, foi realizada a distribuição após solicitado.

Conforme a fiscalização, o teto de ocupação máxima previsto de 70% estava sendo respeitado. De acordo com o PPCI, o salão possui capacidade para 3515 pessoas e havia 2160 no momento. O número de ocupantes foi obtido através do sistema de bilhetagem. Conforme Decreto Municipal atual, o ambiente pode reunir até 2460 pessoas.

A fiscalização foi até o local através de denúncia. Alguns relatos da comunidade demonstravam preocupação devido a festa ocorrer diante da situação da pandemia de coronavírus, ter fila intensa e a maioria das pessoas não utilizarem máscara no momento antes da entrada. As circunstâncias que pudessem provocar aglomeração foram motivos de inquietação de moradores.

O evento contou com programação das 23h de sábado até às 05h de domingo. Havia opção de ingresso com bebidas liberadas e pista com a bebida paga, os valores variavam de R$ 30,00 a R$ 190,00. A atração teve seis músicos confirmados e antes da festa, foi avisado que não haveria distribuição de copos descartáveis, sugerindo uma atitude ecológica. A recomendação dos organizadores era que cada um levasse seu próprio copo ou adquirisse um copo personalizado no local ao preço de R$ 15,00.

Rio Grande ultrapassa 24 mil casos confirmados de coronavírus e atinge 600 óbitos

Falta de profissionais da saúde – Afastamentos afetam vacinação

A falta de profissionais da saúde disponíveis na cidade do Rio Grande têm impactado no sistema de saúde em geral e nesta semana, especialmente na vacinação.

Segundo a Prefeitura do Rio Grande atualmente há uma redução de 30% do corpo de profissionais da saúde. Segundo a Secretaria de Município da Saúde isso se deve ao fato de muitos profissionais estarem afastados. A SMS ainda conta com voluntários que atuam na vacinação.

Onde a vacina não chega: SMS busca voluntários para vacinação em Rio Grande

Em Rio Grande a vacinação para crianças iniciou na quinta-feira (28/12). Durante a programação da semana, a comunidade relatou a dificuldade de encontrar doses disponíveis e também de se deslocar aos pontos de vacinação. No Taim por exemplo, a distância é de 75km para um ponto de vacinação de crianças mais próximo. Segundo a SMS existe dificuldade em disponibilizar novos locais de vacinação porque há falta de corpo técnico devido a quantidade de profissionais afastados.

Situação da covid-19 na região

Nesta semana, o mais recente panorama semanal da Associação dos Municípios da Zona Sul demonstrou que a região alcançou o maior número de contaminações desde o início da pandemia. Foram 11 mortes em decorrência da covid-19 na região dos 22 municípios e atualmente a cidade do Rio Grande está com a UTI da Santa Casa do Rio Grande com 100% de lotação. Os leitos de UTI para a covid-19 foram desativados, conforme informação da Secretaria de Município da Saúde. A Santa Casa do Rio Grande é referência entre outras especialidades, no atendimento da covid-19 para os 22 municípios da região.

Zona Sul apresenta o maior número de contaminações na semana desde o início da pandemia

Reativação de leitos de UTI e Kit Intubação

O Ministério da Saúde anunciou nesta semana a prorrogação de manutenção de leitos de UTI por mais trinta dias que, segundo o documento, ocorrerá até 28 de fevereiro para leitos já autorizados. A decisão de mantê-los é devido ao aumento do número de casos de coronavírus e necessidade de novas internações.

Segundo a SMS, em Rio Grande, será realizada a negociação para a retomada do custeio dos leitos de UTI na Santa Casa e conforme informa a Secretaria, os leitos de UTI Covid-19 permanecem desativados. Novas solicitações de custeio de leitos de UTI para pacientes de coronavírus podem ser feitas até 20 de fevereiro.

O Ministério da Saúde enviou mais de 12 mil frascos de medicamentos de Kit Intubação ao Rio Grande do Sul. Os medicamentos foram distribuídos a 43 hospitais e prontos atendimentos gaúchos que demonstraram interesse na doação. Na região da 3ª Coordenadoria Regional de Saúde as cidades que solicitaram o medicamento foram São José do Norte, Pelotas, São Lourenço do Sul e Jaguarão. A responsabilidade pela compra destes medicamentos é dos hospitais. No entanto, a Secretaria Estadual da Saúde explica que frente às dificuldades da pandemia, foi realizada uma articulação excepcional de compra e distribuição às instituições com estoques críticos que prestaram serviços pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Jornalista Thuanny Cappellari/RIO GRANDE TEM

Foto: Divulgação/Redes Sociais (Foto do evento)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Font Resize