Famílias do Programa Família Acolhedora Receberam Certificados de Formação no Curso de Capacitação

Crédito: Rodrigo de Aguiar

As dez famílias que realizaram o curso de capacitação do programa Família Acolhedora participaram na última terça-feira (09) do encontro que marcou a formação e o encerramento de mais uma etapa do projeto pioneiro no município. A entrega dos certificados aconteceu no auditório do Sesc e contou com a presença da secretária de município de assistência social, Cristina Juliano.

De acordo com a psicóloga da Secretaria de Município de Cidadania e Assistência Social (SMCAS), Marina Rocha Costa, a capacitação das famílias teve inicio no mês de dezembro com a realização de encontros que serviram para explicar os propósitos do programa e esclarecer sobre a importância do papel delas neste contexto. A próxima etapa será a realização de visitas domiciliares para a elaboração das avaliações psicológicas dos participantes.

Crédito: Rodrigo de Aguiar

Já psicóloga do judiciário, Lisiane Soares, trouxe para o evento suas experiências com crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social e lembrou os presentes de que a participação no projeto não garante pontos ou posições privilegiadas em relação a um futuro processo de adoção e ressaltou que o principal objetivo é garantir o desenvolvimento e as potencialidades da criança ou adolescente para permitir sua reinserção no seio familiar.

Para ela, o programa é revestido de uma importância significativa, pois as crianças e adolescentes terão a oportunidade de uma convivência em ambientes tranquilos e que favorecerão o seu desenvolvimento durante o período de acolhimento. O acompanhamento do menor na área da educação também será diferenciado, pois a partir de agora essa tarefa não será mais exercida por um monitor de abrigo, mas sim por uma pessoa que se importa com o futuro do acolhido.

Dentre as participantes que receberam o certificado de conclusão estava Maria Lucia Ortiz. Sua história de vida vai exatamente ao encontro dos objetivos do programa Família Acolhedora, pois ela já trabalhou em abrigo de menores e sabe da importância da presença de uma figura que traga segurança para o desenvolvimento de uma criança ou adolescente.

Em 1994, ela participou de um processo de adoção de uma das crianças que havia chegado cinco anos antes no abrigo, quando ela ainda era um bebê e hoje, 14 anos depois, já tem a companhia de Ketllen, sua neta de dez anos. “Estou ansiosa pelas próximas fases do programa e se eu for uma das escolhidas, darei meu máximo”, concluiu Maria Lúcia.

Marlene Storch Kommling também é mais uma das pessoas capacitadas para atuar no programa. Ela explicou que sempre teve o desejo de auxiliar crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade e ao saber do surgimento dessa possibilidade, procurou a SMCAS para realizar a inscrição e se colocar à disposição. Marlene elogiou a organização e a clareza das informações repassadas durante os encontros.

A secretária de cidadania e assistência social, Cristina Juliano, destacou a coragem destas primeiras famílias em participar de um projeto pioneiro, que servirá de exemplo para a abertura de novos cadastros e até mesmo para a implantação em outros municípios. Ela ainda elogiou a qualidade da capacitação e reiterou o compromisso da administração de garantir o suporte necessário às famílias participantes.

Sobre o Projeto

Lançado no dia 6 de outubro do ano passado, o programa consiste em uma ação que visa organizar o acolhimento de crianças e adolescentes afastados da família biológica por medidas de proteção. As famílias acolhedoras não se comprometem em assumir a criança como filho e se constituem como parceiras do sistema de atendimento, auxiliando na preparação do menor para o retorno à família biológica ou para a adoção.

Segundo o programa, são entendidas como família a composição de casais heterossexuais e homoafetivos. Cada uma delas receberá uma ajuda de custo no valor de um salário mínimo por mês para abrigar um jovem por vez, exceto quando se tratarem de irmãos.

Assessoria de Comunicação/PMRG

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.