Diminuem os casos suspeitos de coronavírus no Rio Grande do Sul

A Secretaria da Saúde (SES) recebeu nesta quinta-feira (6/2) o resultado negativo para coronavírus de duas amostras que estavam em análise na Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro. Outros três casos seguem em investigação, notificados por Canoas, Morro Reuter e Porto Alegre. O enfrentamento e preparo em relação ao novo vírus, que começou a circular no final do ano na China, foi tema de reunião em Brasília, que contou com a presença da secretária-adjunta, Aglaé Silva.

A reunião da Comissão Intergestores Tripartite, realizada no Distrito Federal, teve participação do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, e de secretários de Saúde dos Estados e capitais de todo o país para tratar sobre a situação do novo coronavírus. Na ocasião, foram discutidos detalhes dos planos de contingência dos Estados, que contemplam medidas de prevenção, vigilância e assistência para um possível caso.

No Rio Grande do Sul, a secretária da Saúde, Arita Bergmann, se reuniu nesta semana com os coordenadores das 19 regionais de saúde. Ela frisou o alerta e a importância dos coordenadores levarem essas informações para as suas regionais e discutirem localmente a questão. Arita destaca algumas regiões do RS que demandam uma maior atenção, seja por causa de serem pontos de entradas internacionais (como Porto Alegre, pelo aeroporto, e Rio Grande, pelo porto) ou em virtude de suas características econômicas. Nessas áreas, ela destaca as localidades de Candiota (sede de usinas termoelétricas), Vale do Sinos (indústria coureiro-calçadista), Vale do Rio Pardo (indústria fumageira) e Ametista do Sul (exploração de pedras preciosas), que costumam ter um trânsito de pessoas vindo e indo para a China mais constante.

Casos no Estado

Um dos casos descartados hoje referem-se ao homem de 54 anos que reside na China e procurou atendimento em Novo Hamburgo durante viagem ao Estado. O outro é uma mulher de 60 anos, residente em Canoas, que teve histórico de viagem à China no último mês.

Permanece em investigação um outro caso de Canoas, um homem de 65 anos, cuja esposa teve o caso descartado, e que esteve junto na viagem à Ásia. Os outros dois ainda suspeitos são crianças que moram na China e precisaram de serviço médico durante viagem ao RS: um menino de três anos notificado por Morro Reuter e um bebê de seis meses atendido em Porto Alegre. Todos apresentam sinais leves e receberam orientação de isolamento domiciliar.

Mais informações em saude.rs.gov.br/coronavirus.

SECOM RS

Foto: SECOM RS

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.