Darna – Cozinha Árabe

“Se é problema é porque tem solução, senão não será problema”

Logo que chegamos, foi o que escutamos o Rafat Hussein, proprietário do Darna – Cozinha Árabe, falar para um de seus clientes.

E assim percebemos que este espaço não é só um lugar para os que gostam da Culinária Árabe. Mas também um ambiente para a conversa e o aconselhamento.

Rafat é brasileiro, filho de pais Palestinos. Fala português claramente e tem muita habilidade com a clientela. Habilidade essa que é fruto de alguns anos de experiência trabalhando em comércio e buscando sempre o aperfeiçoamento através da leitura.

Como tudo começou

Em 2014 Rafat viu-se desempregado. A culinária Árabe sempre esteve presente no seu dia a dia, no qual preparava lanches para a família. E foi aí a origem de tudo. O empresário vendia de porta em porta os seus salgados, sempre com o modo de preparo e tempero árabe.

Ele relata o momento difícil e a resistência de alguns em acolher o seu produto. “Eu oferecia e as pessoas perguntavam: tem coxinha, empada ou pastel”, relata.

Persistência

Após dois anos comercializando seu produto de porta em porta, Rafat deciciu abrir o próprio negócio. Sem muito exagero, tudo simples e atendendo ao público de forma acessível e prática.

É neste lugar que você encontra como um alimento também as palavras. Rafat é acolhedor, sempre disposto para uma conversa. E é essa atenção especial, que faz do Darna, muito mais que o único estabelecimento típico de comida Árabe em Rio Grande.

Chá Maramia

O movimento é constante, algumas pessoas se aproximam e já perguntam: “Tem chá hoje?”

Sim, porque muitas delas já conhecem a bebida mais famosa do Darna, o chá “Maramia”. De acordo com Rafat, reza a lenda que esse Chá era oferecido por Maria Mãe de Jesus ao menino – ainda bebê – quando sentia cólicas.

E para quem teve ou tem o prazer de desfrutar, entenderá por que dizemos que o chá é diferente de qualquer outro brasileiro. Adocicado, suave e um sabor inigualável. Oriundo da Palestina, Rafat explica que tem um pouco de dificuldade de trazê-lo para o Brasil. Quanto aos clientes que já chegam pedindo pela bebida, ele explica, que muitos já estão acostumados a dar uma passada, só para beber do “Maramia”.

Especialidades

O princípio e técnica de toda sua produção artesanal tem origem no que aprendeu com a sua mãe. A massa das esfihas, por exemplo, é desenvolvida a partir de receitas de tradição familiar e aperfeiçoada ao longo do tempo.

A esfiha é fofinha, leve e saborosa e pode ser aberta ou fechada. Um dos cuidados é que os salgados possuam bastante recheio. Além do tradicional recheio de carne, tem esfihas de queijo, espinafre e berinjela.

Outra variedade são os Kibes. Preparados com rigidez ao modo árabe.

Além disso tem o Kebab que é um bolinho de carne moída assada, o Beirute que é um sanduíche de pão árabe e o Shawarma que é um sanduíche recheado com carne, salada e picles. A sobremesa fica por conta da Neda, a esposa de Rafat. Ela prepara a Harissa, um doce tradicional à base de semolina.

Outra opção são as empadas à moda árabe. O Falafel que são bolinhos de grão de bico, o Homus que é uma pasta feita a base de grão de bico e tahine e o Babaganush que é uma pasta de Beringela assada ou grelhada com tahine e limão.

Rafat explica, “você vai percebendo os sabores e incluindo temperos. É tudo simples e natural e fica delicioso”.

Legumes no prato

Na culinária árabe se utiliza muitos legumes e de formas variadas. Por exemplo, a couve flor no recheio dos lanches, no qual o empresário diz ficar uma delícia. Mas algumas vezes não comercializa esses quitutes por não estar no costume brasileiro.

O empresário fala que aprecia o Iogurte natural nas receitas. Afinal, traz muitos benefícios à saúde e concede um sabor especial.

A famosa pimenta

Quem experimenta o salgado no Darna, tem à sua disposição um molho de pimenta rico em especiarias e sabor incrível. É mais um dos sucessos da casa. Rafat não costuma comercializar o molho e é modesto ao explicar que é apenas a pimenta malagueta picada com azeite e algumas especiarias.

Mas quem tem o privilégio de degustar, entenderá porque esse é mais um dos atrativos da casa. Rafat não hesita em oferecer de forma generosa esse tempero, concedendo um potinho, para ser degustada com suas delícias.

Comida árabe por encomenda

Rafat prepara lanches e refeições para encomenda. O pão é um dos que tem mais saída nessas ocasiões, mas você também pode adquirir os demais produtos e fazer por exemplo, uma janta ou um festival de culinária árabe em casa. O pão pode até ser congelado e preserva a mesma qualidade e sabor.

Para levar para casa

Se mesmo consumindo ou levando algumas encomendas para casa você não ficar satisfeito, não se preocupe. No Darna você encontra outros produtos para levar para casa, como por exemplo, o tahine, a semente de gergelim e o doce de gergelim (halawi). Ou seja, a casa é completa, para você que tem interesse em conhecer ou já prestigia desta culinária.

Quer conhecer?

O Darna Cozinha Árabe fica na Vice Almirante Abreu, 498

De segunda-feira à sexta-feira das 9h às 20h.

facebook.com/Darna-Cozinha-Árabe-878172048911762/

Se quiser fazer encomendas, entre em contato pelo 98478-6928

Jornalista Thuanny Cappellari – Equipe Rio Grande TEM

Fotos: Equipe Rio Grande TEM e Redes Sociais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.