Coronavírus: acondicionamento e manuseio de lixo doméstico requerem cuidados redobrados

Se já há tempos os órgãos e autoridades sanitárias, e mesmo o senso comum e o de higiene, nos orientam a tomar medidas de segurança quanto ao acondicionamento e manuseio do lixo doméstico produzido por todos nós, agora é hora de ter atenção redobrada nesse processo de descarte. Tanto pela preservação da nossa saúde quanto pela saúde e proteção dos agentes da coleta do lixo domiciliar e seletiva em Rio Grande, que continuam nas ruas da cidade recolhendo o material produzido pelas casas.

Frente ao estado de pandemia da Covid-19, emitido pela Organização Mundial da Saúde, as diversas cidades do mundo inteiro estabeleceram a continuidade daqueles considerados serviços essenciais. São os que não podem parar mesmo diante de uma situação como a que estamos vivendo, entre eles os serviços de recolhimento de lixo, uma vez que o acúmulo de resíduos nas vias pode trazer novos danos de saúde para as pessoas.

A maioria dos municípios brasileiros está mantendo os agentes de limpeza nas ruas, mas com cronogramas diferenciados e adaptações de turnos às normas de prevenção, para que o serviço continue a ser prestado.

Em Rio Grande as duas modalidades da coleta permanecem em execução com o mesmo cronograma em que já atuavam. Para salvaguardar e preservar os agentes de limpeza da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (SMCSU) a administração municipal exigiu junto à empresa que presta o atendimento, “que garantisse a segurança dos funcionários através da disponibilização dos epi’s necessários para a atividade”, assinalou o secretário de Serviços Urbanos, Dirceu Lopes.

Soma-se a isto a orientação do gestor da pasta para que a população acondicione o lixo doméstico e seletivo em, pelo menos dois sacos, e que vede-os bem. “Isso para que não tenha perigo desse material vazar e o agente de limpeza ter contato com ele”, explica. Ele também reitera as práticas que a SMCSU já vem orientando para o descarte de materiais cortantes e perfurantes. “Estes devem ser colocados dentro de uma garrafa pet, envoltos por fita para o fechamento dessa garrafa e a seguir colocados dentro, também, de um saco plástico”, reforçou.

Quanto à coleta de resíduos nas casas da pessoas que estão entre os casos suspeitos de coronavírus e estão em isolamento domiciliar aguardando o resultado dos testes, Dirceu explicou que um procedimento especial de coleta está acontecendo. “Quando há lixo para recolher nas residências em que estas pessoas moram, eles ligam para a Vigilância Epidemiológica, que nos contata para o recolhimento e, nós, por nosso turno, atendendo a todas os protocolos de prevenção, destinamos esse resíduo diretamente para os resíduos de saúde”, elucida.

Limpeza de paradas de ônibus

Outra medida de prevenção adotada pela unidade tem sido a higienização das paradas de ônibus utilizando uma solução de água, cloro, detergente e barrilha. Rio Grande é um dos primeiros municípios brasileiros a começar esse trabalho. As limpezas estão acontecendo desde a semana passada por uma comissão de agentes com uniformes e equipamentos de proteção para a execução desse trabalho. As equipes estão limpando, além de paradas de ônibus, os lugares/logradouros onde ainda há grande fluxo de pessoas, os entornos dos hospitais e do presídio.

Assessoria de Comunicação/PMRG

Foto: Divulgação

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.