Sérgio Rojas é a atração desta semana do Janela Musical, da Furg

Projeto tem nova apresentação neste sábado, na fanpage da universidade no Facebook

Músicas que compõem o álbum Atemporal estarão no repertório de Sérgio Rojas para mais uma edição do projeto Janela Musical, promovido pela Universidade Federal do Rio Grande (Furg). “Tenho muita coisa pra mostrar, mas escolhi para este projeto algumas canções do show de lançamento do meu último álbum, no Theatro São Pedro, em dezembro do ano passado. Esse trabalho sintetiza um pouco do popular latino que venho fazendo”, conta Rojas. A apresentação ocorre às 20h30 no sábado, 26, na página da FURG no Facebook.

Cantor, compositor, violonista e arranjador, Sérgio Rojas começou cedo a trajetória musical, aos 5 anos de idade, na extinta TV Piratini. Com mais 50 anos de carreira na música do Rio Grande do Sul, vive em Porto Alegre desde o início dos anos 80.

Nascido em Uruguaiana, em uma família de músicos, começou efetivamente sua trajetória artística cantando em programas de rádio e tocando nos conjuntos de baile na fronteira oeste. Participou de vários grupos no movimento dos Festivais Nativistas, desde a sua estreia vencedora ao lado de Mario Barbará na Califórnia da Canção Nativa de 1975.

Nos anos 1980 e 1990 participou intensamente dos festivais de música nativista do estado e venceu os principais eventos. Recebeu mais de 200 prêmios como melhor compositor, arranjador e melhor música. Estudou composição na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs), no Instituto de Artes. Participou do primeiro grupo de sucesso de Renato Borghetti junto com Neto Fagundes. Neste mesmo período foi apadrinhado por Mercedes Sosa, com quem fez turnês pelo Brasil e Argentina.

Depois de uma longa trajetória de experimentações, sonoridades e projetos, lançou em 1999 seu primeiro CD, Nosso Segredo. Foi muito atuante na criação de áudios políticos e publicitários compondo os principais jingles da Cia. Zaffari e muitos outros. Tem mais de 40 mil fonogramas produzidos na área publicitária. Em 2010 lançou o CD Por Onde eu For com participações internacionais.

Atualmente é um dos compositores mais requisitados no cinema latino-americano para trilhas de longas-metragens. Entre as tantas bandas sonoras produzidas está o Lua de Outubro, longa feito no Mercosul, A Casa Elétrica, La Tierra Rojas, La Vieja de Atrás, Reus, Mi Mundial, Personas Humanas, O Jogo do Osso, No Manantial, Os Cabelos da China, estes três últimos todos da obra de Simões Lopes Netos além de muito mais para a tela grande. Também é produtor artístico e está à frente da Atrativa Produtora de Áudio, onde também realiza projetos culturais. Em 2015 lançou seu primeiro DVD, Frontera, composto todo em espanhol, referenciando suas influências do Uruguai e da Argentina.

Em 2019, lançou o disco Atemporal, com canções próprias e muitas participações internacionais, a exemplo de Guillermo Vadalá, Popi Spatocco, Pochi Fernandes, Marcelo Martins. O trabalho mais uma vez traz composições em espanhol, com arranjos de orquestra. Suas últimas produções mesclam as influências musicais e culturais da fronteira entre Brasil, Argentina e Uruguai, propondo uma integração dessas culturas. A criação transita entre a milonga, a cumbia, o pop latino, a zamba argentina e candombe uruguaio.

Janela Musical

A Furg, por meio da Secretaria de Comunicação (Secom) e da Pró-reitoria de Extensão e Cultura (Proexc), promove um encontro cultural, aos sábados, intitulado Janela Musical.
A atividade oferece alternativas artísticas e culturais que podem ser apreciadas a distância por meio da internet. A iniciativa também busca valorizar e difundir o trabalho de músicos da região sul.

Assessoria de Comunicação Social da FURG

Foto: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

15 − nove =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.