Retomadas as obras de restauro da Intendência de São José do Norte

Com previsão de finalização até agosto, a obra contempla a cobertura do histórico prédio tombado pelo IPHAE

As obras de restauro da Intendência de São José do Norte (RS) foram retomadas. O prédio é tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado do Rio Grande do Sul (IPHAE) e já foi sede dos três poderes, Executivo, Legislativo e Judiciário. O icônico prédio que abrigou ao longo da história, mais de 20 administradores, entre intendentes e prefeitos, terá a cobertura restaurada até o final de agosto. O projeto é realizado através da Lei Rouanet com financiamento da EBR – Estaleiros do Brasil, Mitsui & Co, Toyo do Brasil, Banco Sumitomo Mitsui Brasileiro e Toyo Setal.

A recuperação e proteção deste bem histórico, orçados em R$ 6 milhões, tem previsão de execução em quatro diferentes etapas e coordenação da Surya Projetos Culturais. De acordo com a produtora executiva, Clarice Ficagna, a primeira fase começou em 2018, com investimento de R$ 380 mil no processo de limpeza, reforço estrutural e isolamento do local. Naquele momento todos os esforços foram focados nos danos estruturais, para que não evoluíssem ainda mais em função das avarias de cobertura já existentes no prédio.  “Com o aporte das empresas parceiras, garantimos a conservação da estrutura e, ao mesmo tempo, designamos uma equipe para segurança do local, principalmente dos elementos de valor artístico do patrimônio”, explica Clarice.

Desde janeiro o processo foi retomado, com a execução da empresa Arquium, liderada pelo engenheiro Paulo Walter da Luz e pelo arquiteto Edegar Bittencourt da Luz. O cronograma dos trabalhos prevê o restauro da cobertura, com uma série de ações que vão desde a remoção do telhado, verificação do estado das peças que compõem a estrutura existente, até a colocação de novos caibros, subtelhado, sarrafos e ripas, além das novas telhas. “Fizemos as plataformas de madeira próximas ao telhado, para avaliar – com a minúcia necessária – a estrutura principal que foi comprometida pelo fogo”, observa Paulo. Ele refere-se ao incêndio que atingiu o prédio em 2009, e que comprometeu parte do telhado, assim como o revestimento do salão principal, ornado com desenhos artísticos e pinturas que retratavam o estilo de tapeçaria oriental. “Estamos fazendo a vistoria em cada uma das peças dessa estrutura”, explica Paulo. Após o resultado das análises, será possível saber quais precisam ser substituídas ou receber reforço metálico. “Grande parte do madeiramento leve será substituída”, complementa.

Após a conclusão do telhado será removida a cobertura provisória. Serão instalados tirantes metálicos fixados nas cintas de concreto, de forma a impedir deformações futuras, além de instaladas novas calhas, e desobstruídos os pluviais existentes.

De acordo com o arquiteto Edegar, o prédio tem na sua estrutura o sistema construtivo típico da arquitetura luso-brasileira. Com cerca de seis décadas de experiência, ele ressalta a importância da preservação dos elementos que integram a Intendência, já que são de grande valor histórico e artístico. “O prédio tem inúmeros bens de valor, muito diferenciados, como as esquadrias e ferragens, além da pintura mural nos forros e as escaiolas das paredes”, avalia Edegar. A tipologia construtiva será mantida, com a telha capa e canal e a estrutura de madeira, inerente ao sistema utilizado no século XIX.

A comunidade poderá acompanhar o desenvolvimento do projeto, que terá ampla divulgação, além de ação de educação patrimonial com alunos de escolas locais. A prefeita da São José do Norte, Fabiany Roig, visitou o local e destacou o significado da execução do restauro. “É de grande importância para nossa comunidade, para que as futuras gerações possam conhecer um pouco mais da história do município”, observou.

Histórico

A antiga Intendência está localizada no Centro Histórico de São José do Norte e foi projetada pelo arquiteto francês Constante Mathelin, em 1898. No decorrer de sua história, importantes reuniões, saraus e conferências aconteceram no seu interior. Entre 1940 e 1947 o salão da prefeitura foi palco de diversos eventos sociais e culturais. Serviu de dependência para a Prefeitura Municipal até o ano de 1985, quando seu estado de conservação obrigou a transferência para outro local.  A primeira obra de recuperação parcial do prédio começou nesta época, mas logo foi interrompida por falta de recursos financeiros, permanecendo fechado até o ano de 2007. Naquele ano, através de um esforço coletivo para a busca de recursos, foi viabilizada mais uma parte da obra, que paralisou novamente em 2009.

Previsão de entrega?

Agosto/2020

O que será feito?

Restauro da cobertura, com a remoção do telhado, ripamento, sarrafeamento e do subtelhado existente. Verificação do estado das peças que compõem a estrutura existente, para possível substituição. Construção de cobertura provisória sobre a edificação, para que possibilite a reconstrução da estrutura da cobertura – nivelada e estabilizada. Colocação de novos caibros, subtelhado, sarrafos e ripas. Logo, colocação das novas telhas. Após a conclusão do telhado será removida a cobertura provisória. Serão instalados tirantes metálicos fixados nas cintas de concreto, de forma a impedir deformações futuras. Também serão colocadas novas calhas, e desobstruídos os pluviais existentes.

Como será efetivado?

O projeto é realizado através da Lei Rouanet com financiamento da EBR – Estaleiros do Brasil, Mitsui & Co, Toyo do Brasil, Banco Sumitomo Mitsui Brasileiro e Toyo Setal.

Satolep Press

Foto: Nauro Júnior/Satolep Press

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

onze + quinze =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.