Relatório aponta aumento de 1,11% no custo do cesto básico em Rio Grande no mês de setembro

Comparação do valor foi realizada a partir dos dados do mês de agosto

O Centro Integrado de Pesquisas (CIP) do Instituto de Ciências Econômicas, Administrativas e Contábeis (Iceac) realiza estudos mensais que monitoram o custo do cesto básico na cidade do Rio Grande. No mês de setembro, houve um aumento de 1,11%, passando de R$1067,11 no mês de agosto para R$1078,94 em setembro.

Isso significa que o custo de vida das famílias no município do Rio Grande ficou mais caro em R$11,98 para os produtos básicos de alimentação, higiene e limpeza. De acordo com o relatório, 32 produtos apresentaram aumento de seus preços, 18 apresentaram queda e um manteve seu preço inalterado.

Os produtos que apresentaram maior variação dos preços no mês foram mamão com +27,01%, cebola com +25,82%, ovos com +25,07% e absorvente +23,42%. Por outro lado, os produtos que tiveram as maiores quedas na variação dos preços foram banana -21,32%, linguiça fresca embalada -19,72%, aparelho de barbear -15,63% e batata inglesa -12,86%.

Outra análise importante que é revelada através do comportamento dos preços dos produtos do custo do cesto básico é a contribuição de cada produto no custo do total, ou seja, o peso de cada item consumido que é o resultado da multiplicação do seu respectivo preço pela quantidade total consumida pelas famílias. Assim, os produtos que mais contribuíram para o aumento do custo do cesto básico nesse mês foram leite longa vida, pão francês de 50 gramas (pãozinho) e carne de frango. Por outro lado, no sentido oposto, tivemos os produtos que mais contribuíram para a diminuição do custo do cesto. Foi o caso da carne bovina, da batata inglesa e da banana.

Metodologia

O relatório apresenta a análise do custo do cesto básico, composto por 51 produtos divididos nos grupos de alimentação, higiene, limpeza e gás de cozinha, além de cigarro e cerveja. As despesas do cesto básico correspondem, em média, a uma família de três pessoas com uma faixa de renda média de um a 21 salários mínimos.

A metodologia que gerou o cesto básico envolve o comportamento das famílias em relação aos principais itens adquiridos mensalmente. Por isto, mesmo que teoricamente não faça sentido o cigarro e a cerveja serem itens básicos no consumo das famílias, o cesto básico reflete as escolhas tomadas pelas famílias.

→ Relatório setembro/2021

Assessoria de Comunicação Social da FURG

Foto: Pixabay

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.