Projeto APA da Lagoa Verde em cena alerta a comunidade para o atropelamentos de animais nas estradas

Pesquisas do Centro Brasileiro de Estudos de Ecologia de Estradas – CBEE, vinculado à Universidade Federal de Lavras/Minas Gerais, estimam que 475 milhões de animais selvagens são atropelados por ano no Brasil, ou seja, em apenas um segundo cerca de 15 animais são vitimados nas rodovias brasileiras, sendo que, aproximadamente, 90% correspondem a morte de pequenos vertebrados, como roedores, cobras, lagartos e pequenas aves.

Em 2019, a Expedição Urubu, realizada por pesquisador ligado ao CBEE, objetivou percorrer estradas de Norte à Sul do país para avaliar os impactos das rodovias e ferrovias nas Unidades de Conservação. O estudo indica que mais de 2 milhões de animais, de médio e grande porte, morrem atropelados todos os anos em estradas, inclusive espécies ameaçadas de extinção. O Núcleo de Educação e Monitoramento Ambiental – NEMA, através do Projeto APA da Lagoa Verde em cena: Educação Ambiental e Teatro, apoiado pelo Criança Esperança/Unesco, vem chamar a atenção da comunidade para este problema.

Na Área de Proteção Ambiental – APA da Lagoa Verde a situação é preocupante, a Unidade de Conservação é cortada pela ERS-734 no trecho sobre os Arroios Bolaxa e Senandes e na BR-392 sobre o Canal São Simão. Os ambientes da APA-LV estão conectados, consequentemente, os animais ao transitarem em busca de alimentação ou refúgio, acabam cruzando as vias e se expondo ao trânsito de veículos. Os gambás, por exemplo, são frequentemente atropelados durante os seus deslocamentos, já que possuem hábitos noturnos e são animais de movimentos lentos e de pouca agilidade. Além dos registros de atropelamento de gambás, foram identificadas espécies como preás, lagartos, cobras, tartarugas, lontra e gato-do-mato-grande.

Essa problemática é pauta constante de discussões no Conselho Gestor da APA-LV, cujas instituições que o compõem buscam alternativas para monitorar e implementar ações efetivas para mitigar os efeitos das estradas. E você motorista, como pode ajudar? Ao perceber animais na pista ou próximo dela, reduza a velocidade. É recomendado ligar os faróis e o pisca-alerta para chamar a atenção de outros motoristas. Ajude a preservar a vida de espécies presentes no nosso Município.

Equipe Lagoa Verde/NEMA

Foto: Valter Macedo Fernandes, da Associação Comunitária Amigos e Moradores do Bolaxa – ACAMBO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Font Resize