Prefeitura e Furg realizam trabalho conjunto para implantação de um serviço de teleorientação médica

A parceria entre as instituições públicas visa proporcionar o atendimento e o encaminhamento de pessoas através do atendimento em saúde à distância. O projeto foi apresentado durante a reunião de segunda-feira, 6, do Comitê Municipal de Enfrentamento à Covid-19. Aprovada, a ideia passou para a fase de elaboração de um termo de referência e o serviço já está na etapa final de contratação por parte da administração municipal e capacitação dos profissionais em saúde que devem atuar na Central.

A iniciativa nasce da urgência em proporcionar à população um atendimento mais rápido, evitando assim aglomerações nos postos e unidades de saúde do município, além de redução da pressão no sistema público de saúde. A solução em tecnologia da teleorientação médica está sendo desenvolvida por uma startup do Parque Tecnológico de Pelotas, a empresa Indeorum, através de diálogo com a Universidade Federal do Rio Grande (Furg).

A nova ferramenta vai estar integrada com os serviços e sistemas de Saúde no âmbito municipal através do G-MUS, software utilizado pela Secretaria de Município de Saúde de Rio Grande. “É um projeto que vem no sentido de reduzir a circulação de pessoas que, das suas residências, poderão ter acesso ao serviço”, argumenta o secretário de Saúde de Rio Grande, Maicon Lemos.

No dia 23 de março o Ministério da Saúde publicou no Diário Oficial da União a Portaria Nº 467 que regulamenta os atendimentos médicos à distância. A liberação da telemedicina, segundo a portaria, será válida apenas durante a pandemia do coronavírus. A modalidade poderá ser utilizada para atendimento pré-clínico, de suporte assistencial, de consulta, de monitoramento e diagnóstico tanto em atendimento do Sistema Único de Saúde como na rede privada.

A alternativa pela empresa Indeorum se justificou após a identificação pelo grupo de trabalho da prefeitura – que inclui médicos da secretaria de Saúde, servidores da secretaria de Desenvolvimento e Inovação, e área médica da Furg – de que a incubadora “já possuía uma solução, em andamento, de telemedicina, que apresentava aderência à necessidade apresentada, além de estar bem próxima à nossa cidade”, avaliou o secretário de Desenvolvimento e Inovação de Rio Grande, Cláudio Dutra.

A implantação da teleorientação médica prevê o seguinte esquema de atendimento. As pessoas que estiverem com sintomas poderão ligar para um número gratuito (ainda em definição). No número elas serão atendidas por uma equipe de triagem composta por profissionais da área da saúde que vão conversar com o paciente e verificar a gravidade (ou não) do caso apresentado para a Covid-19, assim como identificar a presença de sintomas de outras doenças que não o coronavírus.

De acordo com a situação narrada durante o atendimento via telefone, o encaminhamento poderá ser o da necessidade de realização de uma consulta presencial em unidade de saúde mais próxima da sua casa. “Outra alternativa será a do encaminhado para uma consulta via videoconferência com um médico que vai avaliar o quadro e transmitir as orientações necessárias, como por exemplo recomendar o isolamento domiciliar do paciente com o seu acompanhamento e monitoramento permanente via Central de Atendimento”, elucida o secretário de Saúde de Rio Grande, Maicon Lemos.

Além da Central Telefônica, o projeto também prevê a implantação de um canal de atendimento via Whatsapp para o envio de mensagens e dúvidas da população.

Assessoria de Comunicação/PMRG

Foto: Divulgação

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.