Prefeitura Aumentará de 300 Mil para 450 Mil os Repasses Mensais para a Santa Casa

O secretário de Município da Saúde de Rio Grande, Maicon Lemos, e a administração da Santa Casa de Rio Grande participaram de uma reunião na quarta-feira (24) no Palácio Piratini, em Porto Alegre, junto ao secretário da Casa Civil do Estado Fábio Branco.
Crédito: Casa Civil

A 3ª Coordenadoria Regional de Saúde e servidores da Secretaria de Estado da Saúde (SES-RS) também participaram do encontro, que tratou do contrato 2018, a ser celebrado entre a SES e a Associação de Caridade.

De acordo com o secretário de Saúde, a reunião teve como objetivo principal solicitar o apoio do Estado do Rio Grande do Sul para manutenção do valor contratualizado em 2017, visando a manutenção dos serviços do SUS prestados ao município e Região Sul, para a retomada gradual de serviços prestados à comunidade.

Durante a reunião, Lemos, que também é presidente do Conselho de Secretários de Saúde da Metade Sul (COSEMS-SUL), reiterou a importância do hospital para o município e região. Neste sentido fez ao secretário da Casa Civil um panorama dos esforços do município para auxiliar o hospital. “O aporte atual do município para custeio à área de Urgência e Emergência da Santa Casa é de R$ 300 mil por mês, valor equivalente ao que a União tem repassado para a Associação. Em abril este valor saltará para R$ 450 mil reais mensais. No que diz respeito ao convênio entre o município e a instituição os repasses estão em dia”, reforçou Maicon.

Nos anos de 2015, 2016 e 2017 os valores dos repasses mensais feitos pelo Executivo Municipal para a área de Urgência da instituição filantrópica foram de R$ 90 mil, R$ 210 mil e  R$ 300 mil, respectivamente. O crescimento nos valores representa o compromisso da Prefeitura em manter o Pronto Socorro da instituição atendendo a população.

Atrasos nos Repasses do Estado

Os constantes atrasos pelo Estado nos repasses da contratualização do ano anterior são um grande entrave para o não alcance das metas pela Associação de Caridade. “O não cumprimento destas metas está diretamente atrelado ao atraso pelo repasse da Secretaria Estadual de Saúde. São os repasses em dia que garantem que o processo de gestão da instituição avance”, explicaram o secretário de Saúde e o administrador da Santa Casa, Régis Silva.

A administração municipal e outros órgãos da cidade tem somado forças no sentido de encontrar outras fontes de receita para a Associação de Caridade, como é o caso das constantes idas de representantes da municipalidade à capital federal no último semestre de 2017, na busca por emendas impositivas da Câmara de Deputados destinando verbas à instituição.

Nova Reunião

Na próxima segunda-feira (29), na capital do Estado, um novo encontro entre Santa Casa, SES, Secretaria de Saúde de Rio Grande (SMS) e 3ª Coordenaria tratará dos detalhes finais para formalização do contrato e valor a ser firmado em 2018.

Assessoria de Comunicação/PMRG

Com informações da SMS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.