Perdidas em nossas lembranças

É como diz aquele ditado “podemos estar em meio a uma multidão e mesmo assim estarmos sozinhos”. A solidão, como muitos têm dito, é o mal do século!  Isso faz muito sentido neste momento de confinamento e isolamento, sem estarmos, em muitas circunstâncias, com quem mais amamos tudo porque é necessário, é claro. Como os meus alunos têm dito: é um momento de reflexão, de dar mais valor as pequenas coisas e as pessoas. Além de tudo mais, percebemos os dois lados desse mal: o positivo e o negativo. Contudo, infelizmente, estamos experimentando muito mais o lado negativo, aquele acompanhado da depressão e/ou outras condições e/ou doenças semelhantes. Então, o que nos resta fazer: Sinceramente, não sei exatamente! Mas sei que devemos, sim, como colocaram os meus alunos, dar mais valor a tudo e as pessoas por, principalmente, não sabermos o dia de amanhã. E dependendo do que acontecer pode ser que não tenhamos uma segunda chance para consertarmos e/ou de refazer laços, ou mesmo de pedir desculpas pelas pequenas brigas, aquelas sabe cujos motivos de suas ocorrências podem estar há muito tempo perdidas em nossas lembranças.

Ana Paula Emmendorfer (Professora de Filosofia e Lógica – Doutora em Filosofia/Unisinos-RS)

Foto: Pixabay

Siga no Facebook: facebook.com/logosreis/

Siga no Intagram: instagram.com/logosreis/

Siga no YouTube: youtube.com/logosreis/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois − um =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.