Nepomuceno e Beethoven são as atrações do concerto da Ospa no sábado (19)

Orquestra recebe como convidados o maestro Tiago Flores e o pianista Guilherme Goldberg

A Orquestra Sinfônica de Porto Alegre (Ospa) apresenta o terceiro concerto da Série Casa da Ospa no próximo sábado (19/6), às 17h. O público terá a oportunidade de ouvir uma obra pouco conhecida de Alberto Nepomuceno, com solos do pianista Guilherme Goldberg, e relembrar um sucesso de Ludwig van Beethoven. O evento terá regência de Tiago Flores, maestro da Orquestra de Câmara da Ulbra e ex-diretor artístico da Ospa.

O formato novamente será híbrido, com transmissão online e presença limitada de público na Sala de Concertos da Casa da Ospa. O ingresso é a doação de 1 quilo de alimento não perecível, agora com a possibilidade de reserva online pelo site uhuu.com, além da bilheteria (veja detalhes no serviço).

A primeira parte do concerto é dedicada às Valsas humorísticas para piano e orquestra, de e Alberto Nepomuceno (1864-1920). O compositor e maestro cearense, cujo centenário da morte foi lembrado em 2020, ajudou a imprimir uma identidade brasileira à música de concerto, tornando-se um dos grandes nomes do nacionalismo e do modernismo eclético na sua época. É autor do hino do Estado do Ceará e do arranjo cantado atualmente do Hino Nacional Brasileiro. Foi influente também como educador e apadrinhou Heitor Villa-Lobos.

A obra de Nepomuceno nem sempre é de fácil acesso. Segundo o solista Guilherme Goldberg, que estuda a fundo a obra do compositor, Valsas humorísticas para piano e orquestra foram pouco gravadas e só receberam uma execução em Porto Alegre: em 15 de julho de 2008, no Salão de Atos da UFRGS, com Ospa, Goldberg ao piano e Manfredo Schmiedt na regência. Única obra do compositor para piano e orquestra, estreou em fevereiro de 1902 no Club dos Diários de Petrópolis (RJ). “É uma peça que se coloca como uma brincadeira em relação à música de salão. A toda hora, muda o caráter das valsas, com citações distorcidas de Strauss e Chopin”, comenta Goldberg.

Na segunda metade do concerto, a Ospa interpreta uma grande obra do mestre alemão Ludwig van Beethoven (1770-1827), cujos 250 anos foram celebrados em 2020. Festejado como pianista desde jovem, tornou-se um compositor reconhecido a ponto de conquistar autonomia financeira dando aulas, vendendo obras e se apresentando, em uma época em que grandes nomes dependiam de mecenas. A Sinfonia nº 2 em Ré maior, Op. 36 foi escrita em 1802, durante um período em que Beethoven se isolou no campo para tentar atenuar a perda da audição. A estreia foi em abril de 1803, no Teatro An der Wien, em Viena.

“Os contemporâneos acharam uma peça notável, com profundidade, mas a descreviam como uma obra bizarra. Para nós, esses encadeamentos harmônicos são muito naturais, mas naquela época eram bastante ousados. Apesar de Beethoven encontrar-se em um momento bastante delicado, depressivo, ele compôs uma obra vigorosa, cheia de vida, ironia e humor. A música sempre foi algo que impulsionou Beethoven a continuar vivo. Ele inclusive escreveu suas principais obras depois desse período”, comenta o maestro Tiago Flores.

Visita segura

Em acordo com as orientações do governo do Estado referentes à pandemia da Covid-19, o concerto seguirá os seguintes protocolos de segurança: ocupação de 15% da capacidade da Casa da OSPA, disponibilização de álcool gel aos visitantes, uso obrigatório da máscara, medição de temperatura na entrada, distanciamento social nos espaços de passagem e na ocupação das poltronas da Sala de Concerto.

Também é possível acompanhar os concertos da Ospa gratuitamente e ao vivo pelo canal da orquestra no YouTube e pela plataforma #CulturaEmCasa.

Guilherme Goldberg

Pianista graduado pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Desenvolve intensa pesquisa sobre Alberto Nepomuceno, que foi tema tanto de seus mestrado e doutorado em Música, ambos pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), e do estágio pós-doutoral na Universidade Nova de Lisboa. Do compositor, ainda publicou várias obras inéditas, inclusive as Valsas humorísticas. Como pianista, também se dedica à divulgação de compositores gaúchos, como Clodomiro Caspary, Flávio Oliveira, Frederico Richter, Hubertus Hofmann, Esther Scliar e Armando Albuquerque. É professor no Centro de Artes da UFPel.

Tiago Flores

Graduado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), com especialização em regência orquestral em São Petersburgo (Rússia) com Victor Fedotov. Como regente convidado, atuou à frente de diversas orquestras no Brasil e no Exterior. Foi diretor artístico da Ospa de 1999 a 2001 e de 2011 a 2014. Recebeu o prêmio Melhores da Cultura 2005, conferido pela Secretaria da Cultura do Rio Grande do Sul, e os prêmios Açorianos de Melhor CD Instrumental (2006) e de Melhor Espetáculo (2008) com o show Beatles – Magical Classical Tour. É regente da Orquestra de Câmara da Ulbra e coordenador do Projeto Ouviravida, que leva educação musical a crianças e jovens em situação de vulnerabilidade social no bairro Bom Jesus, em Porto Alegre.

SERVIÇO

O quê: Terceiro concerto da Série Casa da OSPA – Temporada 2021 – Nepomuceno & Beethoven

Quando: sábado (19/6), às 17h; abertura das portas às 16h (o acesso não será permitido após o início do concerto).

Onde: Casa da Ospa – Centro Administrativo Fernando Ferrari (Caff) – Av. Borges de Medeiros, 1.501 – bairro Praia de Belas

Ingresso: 1 quilo de alimento não perecível (entrega no dia do concerto); distribuição de ingressos sujeita à disponibilidade, limite de dois ingressos por CPF

Bilheteria on-line: uhuu.com, de quinta-feira (17), às 12h, até sexta-feira (18), às 11h59.

Bilheteria física: Casa da Ospa, na sexta-feira (18), das 12h às 17h, e no sábado (19), das 9h até o horário do concerto.

Acessibilidade: a Casa da Ospa oferece acessibilidade para pessoas com mobilidade reduzida e programas em braile.

Na internet: ao vivo, gratuitamente, em youtube.com/ospaRS, e pela plataforma culturaemcasa.com.br

Mais informações pelo site ospa.org.br

PROGRAMA

Regência: Tiago Flores

Solista: Guilherme Goldberg (piano)

• Alberto Nepomuceno

Valsas Humorísticas para piano e orquestra

I. Tempo di Valsa un poco vivo
II. Lento
III. Allegro moderato
IV. Moderato assai
V. Tempo giusto
VI. Allegro

• Beethoven, Ludwig van

Sinfonia no. 2 em Ré maior, Op.36
I. Adagio molto – Allegro con brio
II. Larghetto
III. Scherzo. Allegro-Trio
IV. Allegro molto

Direção artística: Evandro Matté

Ascom Ospa

Foto: Nathan Carvalho/Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro + dezessete =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.