Museu Virtual Afro-Brasil-Sul foi destaque no estande da UFPel na Fenadoce

O sábado (11) na 28ª Fenadoce foi repleto de cultura, história e ressignificações sociais da cultura negra com as ações do Museu Virtual Afro-Brasil-Sul (MABSul), projeto de Pesquisa e Extensão da Universidade Federal de Pelotas (UFPel). No estande da instituição, os visitantes tiveram acesso à informações sobre o museu, atividades infantis de incentivo à proteção contra a Covid-19 e amarrações de turbante para as mulheres, que foram fotografadas pela profissional do projeto e apareceram nas redes sociais da iniciativa.

O museu é vinculado ao Centro de Artes, e é uma ação afirmativa da Universidade coordenado pela Professora Doutora Rosemar Lemos, Coordenadora do curso de Artes Visuais – Licenciatura, da UFPel. “Promovemos uma série de ações para divulgar o museu e os materiais que são disponibilizados em cinco coleções: os clubes sociais negros, os quilombos, personalidades negras, arte e religiosidade. Esses materiais podem ser utilizados tanto em salas de aula como em grupos não institucionais”, explicou a coordenadora.

“Também produzimos podcasts sobre a história negra, sempre buscando contar a história do ponto de vista que não seja a partir dos negros escravizados, diminuindo a invisibilidade negra aqui no Rio Grande do Sul e no restante do país. Muitas pessoas acreditam que aqui, em Santa Catarina e no Paraná existem apenas descendentes de imigrantes italianos e alemães, quando, na verdade, existe uma presença negra bastante marcante”, afirmou a Prof.ª Dr.ª Rosemar.

O MABSul está disponível para acesso online no site www.acervosvirtuais.ufpel.edu.br/museuafrobrasilsul/, e possui contribuições de universidades como a Universidade de Brasília (UNB), Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Unipampa, Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS), UNESC e Universidade Federal de Santa Catarina.

Assessoria de Comunicação Fenadoce

Foto: Rafael Takaki

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.