Grupo de pesquisa da FURG divulga relatório sobre o emprego formal em 2020

Documento apresenta dados sobre o Rio Grande do Sul e foco em Rio Grande

O Grupo de Pesquisa em Microeconomia Aplicada (EconoMicro) divulga o Relatório Anual do Emprego Formal no Rio Grande do Sul, que apresenta a movimentação do tema em 2020. O documento, disponível aqui, apresenta análises feitas por setor, gênero, escolaridade e faixa etária.

De acordo com o coordenador do grupo, Eduardo Tillmann, a ideia de analisar o emprego formal surgiu por conta da pandemia. “Entendemos ser interessante analisar o efeito que a pandemia tem sobre o mercado de trabalho. Além disso, os dados brutos do Ministério do Trabalho possibilitam a análise mais desagregada, assim conseguimos montar as estatísticas para a região sul e para Rio Grande”, relata o docente.

O relatório utilizou os microdados disponibilizados pelo Novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged), do Ministério do Trabalho, que mensalmente atualiza informações sobre a movimentação do mercado de trabalho formal.

Emprego formal em Rio Grande

Segundo a pesquisa feita pelo EconoMicro, Rio Grande apresentou 12.297 admissões e 12.672 desligamentos em 2020, totalizando um saldo negativo de 375 postos de trabalho formais.

No período da pandemia, de março a dezembro de 2020, houve 578 desligamentos a mais do que admissões no município. Somente em dezembro Rio Grande registrou um total de 1.041 admissões e 1.070 desligamentos, contabilizando um saldo negativo de 29 postos formais no mês.

Segundo a análise, o setor que mostrou pior desempenho no trabalho formal de Rio Grande foi o de construção, com -449 vagas. Já o setor industrial foi o único que terminou o ano com maior número de admissões do que demissões, nas três regiões analisadas. No município o saldo foi de +398.

Com relação à faixa etária, todas as regiões – Rio Grande, Região Funcional Sul e Rio Grande do Sul, apresentaram saldo positivo para as faixas etárias mais jovens, com até 24 anos. Porém, os maiores saldos negativos foram encontrados para os trabalhadores com idades entre 50 e 64 anos.

Emprego formal no Rio Grande do Sul

Os municípios da Região Funcional Sul apresentaram saldo negativo de 746 empregos formais, com 49.366 admitidos e 50.112 desligados. O Rio Grande do Sul, por sua vez, fechou o ano com um saldo negativo de 20.220 vagas, com 972.201 admissões e de 992.421 desligamentos.

No Estado, de março a dezembro de 2020, o saldo negativo de postos de trabalho formais foi de 56.545. Já a Região Funcional Sul apresentou saldo positivo de 1.129 postos de trabalho formais, justificado pelo desempenho positivo na geração de empregos do setor industrial da região.

O último mês de 2020, no Rio Grande do Sul, contabilizou saldo de 131 demissões a mais do que admissões. Na Região Funcional Sul, o saldo foi positivo em 864 admissões.

O setor de serviços foi o que mais contribuiu para saldo negativo do emprego formal no estado do Rio Grande do Sul em 2020, com -21.573 vagas. De acordo com o documento, este setor também foi o principal em termos negativos para os municípios da Região Funcional Sul, com -656 postos de trabalho. Já o setor industrial no estado teve saldo de +4.163 e de +892 na Região Funcional Sul.

Na análise por gênero, no acumulado do ano no Rio Grande do Sul, o saldo negativo de empregos foi maior entre as mulheres (-14.558) do que entre os homens (-5.662). Porém, no período da pandemia, o saldo negativo foi predominante para os homens (-29.247) em relação às mulheres (-27.298).

O estudo observou que o desempenho negativo do emprego formal se concentrou entre os trabalhadores com nível de escolaridade fundamental – incompleta e completa. O saldo entre admissões e demissões, no acumulado do ano, foi de -16.082 e -10.889, respectivamente. No período da pandemia este saldo é de -26.646 e de -15.125 postos de trabalho.

EconoMicro

Criado oficialmente em março de 2021, o Grupo de Pesquisa em Microeconomia Aplicada (EconoMicro) é composto pelo professor Eduardo Tillmann, do Instituto de Ciências Econômicas, Administrativas e Contábeis (Iceac) e pelos discentes Felipe Weizenmann, Andrew Piccioni, André Luis Zorzi, Caio Gonçalves, Douglas Pieper, Miriã Garcia e Rafael Santiago.

O grupo deu início aos trabalhos após os estudantes realizarem o curso de extensão “Introdução do Software Stata”, ministrado por Tillmann, onde tiveram contato com o software que permite o cálculo das estatísticas utilizadas no relatório.

O EconoMicro tem o objetivo de desenvolver pesquisas que contribuam para o debate de políticas públicas no Brasil, tratando de temas como educação, mercado de trabalho e meio ambiente. O grupo busca promover um ambiente de investigação entre professores e estudantes de graduação e pós-graduação, através de cursos, palestras e atividades de pesquisa.

→ Relatório do Emprego Formal 2020

Assessoria de Comunicação Social da FURG

Foto: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × um =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.