47ª Romaria Diocesana de N. Sra. de Fátima marca compromisso sinodal da Igreja

A Santa Missa drive-in no Praça Rio Grande Shopping, abriu a 47ª Romaria Diocesana de Nossa Senhora de Fátima na manhã ventosa deste domingo (10/10), recebendo cerca de 800 veículos e mais de 3.000 romeiros nessa edição que ainda esteve marcada pelos protocolos restritivos da pandemia, mas que em nada afetou essa expressão de fé e devoção da colonização portuguesa que já caminha para meio século de existência na cidade do Rio Grande.

O lema “Com Maria, Fratelli Tutti” da Romaria, dentro da perspectiva da amizade social, nessa edição, fazia um convite para o despertar de uma Igreja Sinodal. Dom Ricardo Hoepers, bispo diocesano do Rio Grande, informou que esse domingo era um dia importante, pois o Papa Francisco também estava abrindo, em Roma, o Sínodo da Igreja. E portanto, segundo ele, na Romaria, “seria a Mãe de Deus que abriria a porta do diálogo e da escuta em nossa Diocese”. No contexto do Sínodo, o bispo reforçou que somos todos irmãos convidados a extrapolar o espaço geográfico na busca de uma ampla participação nas decisões da Igreja.

 Sob o olhar maternal de Nossa Senhora de Fátima, em sua homilia, Dom Ricardo convidou os devotos da padroeira da Diocese do Rio Grande para um exercício de quatro passos essenciais, onde devem prevalecer essencialmente o amor e o cuidado com o nosso próximo. Num primeiro momento, ele pediu que todos olhem para as pessoas que estão ao seu lado no dia-a-dia, as quais certamente, foram colocadas ali por Deus. “Devemos nos sentir responsáveis por essas pessoas que são colocadas em nossas vidas e pedir a N. Sra. De Fátima, que amemos infinitamente quem está do nosso lado”, sinalizou.

Como segundo passo, frisou que também somos irmãos daqueles que perderam suas referências ou pessoas que amam. E, lembrando que é possível ter uma cidade e até um país melhor, desde que não trabalhemos sozinhos, disse que devemos invocar N. Sra. de Fátima, pedindo para que cuidemos mais generosamente de quem precisa de nós. Um terceiro passo, segundo o bispo, é enfrentarmos todos os cenários cruéis que colocam em perigo o nosso bem mais precioso, que é a nossa família. Para Dom Ricardo, não devemos ser reféns de dragões assustadores como as drogas ou as legalizações do aborto ou da eutanásia. Contra isso, devemos pedir insistentemente a N. Sra. de Fátima, que lutemos corajosamente contra todo o tipo de pecado.

E com Maria, Dom Ricardo acredita que também possamos dar o quarto passo, de sermos solidários nos momentos difíceis, a exemplo do que ocorreu nas Bodas de Caná. “O cristão deve se mover para minimizar a dor do seu próximo, seja na miséria, na solidão, na tristeza, na falta de amor ou até na falta de Deus. Não podemos desistir dos pequenos milagres da vida cotidiana. A ação de Deus em nós nos transforma e preenche nossos vazios, toda vez que fazemos o bem”, evocou o bispo diocesano, exortando a todos para pedirem a N. Sra. de Fátima, que o nosso vazio transborde o amor do seu filho Jesus.

Na celebração eucarística, Dom Ricardo frisou que o Papa Francisco está nos convidando para uma Igreja Sinodal, de comunhão, participação e missão. “É um tempo de escuta e diálogo. E em Rio Grande, queremos assumir juntos essa unidade com a disposição do Espírito Santo que vai proporcionar a renovação da nossa Igreja. Que Nossa Senhora abra nossos corações e venha caminhar conosco por uma Igreja Sinodal”, destacou ele. Um representante de cada paróquia da Diocese esteve presente na celebração, para marcar o compromisso de participar desse grande desafio a todas as dioceses do mundo.

Ao final, como sinal de unidade, foram abençoadas e entregues as velas sinodais, para que sejam acesas no próximo domingo, dia 17 de outubro, quando cada paróquia abrirá a sua assembleia comunitária. “Que cada representante receba a vela como a luz de Cristo para iluminar esse caminho e os passos de cada paróquia na participação do Sínodo”, explicou. O prefeito municipal Fábio Branco também recebeu uma vela sinodal de Dom Ricardo, como sinal de bênção e proteção a todo o município nesse processo instaurado pela Igreja.

Ao final da celebração eucarística, saiu uma carreata de retorno até o Santuário de Nossa Senhora de Fátima, quando então os veículos foram abençoados. Esse ano, houve arrecadação de alimentos não perecíveis destinados à Pastoral da Caridade Diocesana. O padre Péterson de Figueiredo, reitor do Santuário e coordenador da Romaria, agradeceu a todos os parceiros e equipes que tornaram esse evento possível, dizendo acreditar que, na edição de 2022, será possível retornar à caminhada que os devotos tanto almejam.

Lucilene Zafalon/Pastoral da Comunicação Diocesana do Rio Grande

Foto: Pastoral da Comunicação Diocesana do Rio Grande

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.